out 211988
 

Compositora, baixista e vocalista, Lory Finocchiaro (ex-integrante do grupo Sempre Livre onde atuou como guitarrista), após oito anos de trabalho no eixo Rio-São Paulo, volta a Porto Alegre, para mostrar seu primeiro trabalho solo, hoje e domingo no Porto de Elis, às 23 horas.

Para isso ela montou a ‘Lory F Band‘, com Léo Ferlauto nos teclados, Paulo Nequette nas guitarras, Claudio Prize¹ (Mattos) na bateria, e ela no baixo. Roqueira de formação (irmã da Laura Finocchiaro), Lory traz o rock nas veias, segundo as opiniões que circulam pela cidade. Canta macio, sem voz, quase rouca, e lembra Marianne Faithful.

Lory Finocchiaro vai mostrar um repertório próprio e inédito, deixando prever que será um das boas surpresas da temporada em Porto Alegre. Suas letras são viscerais, verdadeiras, falam da realidade dura de forma sarcástica, mas suavizada pelo romantismo. Participação especial da Débora Finocchiaro e Marcos Pillar. Confira.

Publicado no jornal ZERO HORA, no dia 21 de outubro de 1988.

Nesta foto e respectivamente:
Paulo Nequette | Lory Finochiaro | Leo Ferlauto | Claudio Prize (Mattos)

¹ Cláudio Mattos é o nome do baterista, que era integrante da banda de época chamada ‘Prize’.

DOS ARQUIVOS IMPLACÁVEIS Juarez Fonseca @facebook
@ Lory Finocchiaro integrava uma família de músicos e artistas. Foi a primeira a entrar na música, pelo lado do rock. Depois veio sua irmã Laura no pop (até hoje atua em São Paulo) e depois a outra irmã, Deborah, no teatro. Primeira baixista/guitarrista rockeira gaúcha a fu, ela liderava a Lory F Band quando morreu de aids em 1993, deixando um disco lançado postumamente. Com esta postagem, de um recorte de 21 de outubro de 1988, faço uma homenagem a ela em plena vida.