set 251988
 

Os enxotados do Bom Fim e órfãos do Bar Ocidente estavam todos lá. Misturados, apocalípticos e integrados marcaram presença em peso, segunda feira passada¹, no Fim de Século Bar, na festa de lançamento oficial da segunda coletânea de grupos de rock que será distribuída em nível nacional, Rio Grande do Rock, da SBK Songs do Brasil.

Seria a quarta coletânea, computados os lançamentos das produções locais – ‘Rock Garagem‘ I e II – e a mais recente, da RCA, ‘Rock Grande do Sul‘. O disco reúne alguma das bandas da novíssima geração do rock gaúcho, que ainda não conseguiram contrato com uma gravadora de porte. O ‘novíssimo’ não se aplica a Julio Reny & Expresso Oriente, há mais tempo na estrada.

Dos cinco grupos reunidos, apenas Os Cascavelletes já debutaram no mercado fonográfico, com um mini LP gravado de forma independente², recentemente lançado. Nesta compilação eles, assim como os demais, entraram com duas composições: Estou amando uma mulher e Morte por tesão. O disco, gravado na ACIT de Caxias do Sul, tem a Prize (Forças do Interesse e Brasil), Justa Causa (Status e Exilados), Apartheid (Críticos e Roleta Russa) e Julio Reny & Expresso Oriente (Anita e Expresso Oriente).

Depois do estouro de bandas como TNT, Defalla, Os Replicantes, Os garotos da Rua, Os Engenheiros do Hawaii e Nenhum de Nós em todo o Brasil, que se sairam bem ao deslocar suas atenções ao público do eixo Rio-São Paulo como nenhum outro Estado brasileiro, resta saber se essas novas bandas terão fôlego e cacife suficientes para levar adiante suas propostas.

Está cada vez mais difícil aguentar a barra num mercado pra lá de inflacionado de ‘novas’ bandas e com um consumidor cada vez mais achatado.

Publicado no Jornal ZERO HORA, dia 25 de setembro de 1988.

¹. refere-se ao dia 12 de setembro de 1988.
³. refere-se ao EP lançado pela banda, em formato de 12′.