mar 032021
 

A banda Smog Fog é  bem lembrada pelos fãs do rock gaúcho, sobretudo após sua participação na coletânea ‘Assim na Terra Como no Céu‘, lançado no ano de 1991 e o vídeo clipe da canção ‘Meu Sertão”. Lançou duas demos, considerando que houve uma terceira em formato bootleg, selecionando algumas tracks de cada fita. O texto abaixo (original) vem do site ‘Agito com Bilau‘, escrito em novembro de 2011, época em que ainda não havia sido fundado este site. O autor também menciona outra demotape da Smog Fog. Logo abaixo (role a página) na postagem você poderá ver a capa (frente e verso) e também em detalhes.

Smog Fog (1988 Ao vivo na Vortex)

É possível uma banda possuir dois momentos em formato demo tape que são clássicos dentro da história do rock gaúcho? A resposta a essa pergunta é: Sim. As duas demos tapes da Smog Fog são perfeitas e refletem dois momentos da banda mais esquecida do rock gaúcho.

O Baixista João Olair certa feita disse ser o único que ainda lembra que a banda existiu. Então aí vai: Smog Fog é uma cortina de fumaça com projeções lisérgicas. Tentarei ser mais claro ao defini-los, mesmo que isso seja um pouco inusitado. Isso mesmo, talvez a palavra seja inusitado. Uma banda completamente non-sense, debilóide e que ao mesmo tempo representava o amor de uma forma quase lírica, talvez suicida, quase inacreditável, talvez perfeita.

Nunca teve um baterista fixo. Mas o trio principal sempre esteve presente. João Olair – baixo, Felipe – vocais e Guilherme – guitarra e backing vocais. A voz do Felipe é algo impressionante e único. É só ouvir para perceber que não existe outra parecida. Os backing retardados do Guilherme faz com que o momento mais obscuro e depressivo se transforme num sorriso. O baixo estranho e a forma tosca com que são executadas as músicas principalmente na primeira demo (da Vortex).

Na segunda demo, que acabou se transformando numa terceira, eles melhoram e perdem um pouco desse lado mais tosco, mas recuperam em melodias e execuções, coisas impressionantes como é o caso das músicas “Labirinto” e “Não Sei Lê”. É um material difícil de conseguir e que mereceria um lançamento em cd.


Digitalizado e masterizado em outubro de 2021 do Cassete Cromo, original por Reinaldo Portanova Fº, Relicário do Rock Gaúcho. Acervo Carlos Gerbase, SELO VORTEX.
O áudio abaixo é exatamente o mesmo digitalizado da fita K7 original.


A arte da fita é criação do guitarrista da Banda Guilherme Figueiredo. Logo abaixo em detalhes.

Na vertical:

Na horizontal:


Em detalhes:

 Leave a Reply

error: Este site é destinado à leitura, consulta, audição e visualização dos videos.